13/01/2018

Profissionais de Engenheiro Coelho opinam sobre Copa do Mundo

Expectativas são boas para a Seleção Brasileira

Michael Harteman

A Copa do Mundo de futebol chama a atenção da população mundial e, consequentemente, dos brasileiros. Mesmo aqueles que não acompanham a modalidade mais popular do país ficam ligados quando 32 seleções se encontram para o torneio mais tradicional do planeta. Segundo a Federação Internacional de Futebol (Fifa), a edição de 2014, no Brasil, registrou um público de 3,8 bilhões de pessoas, que acompanharam os jogos pela TV. A expectativa é que esse número seja superado na Rússia.

Após a Copa do Mundo 2014, onde o Brasil sofreu a vexatória derrota de 7 a 1 contra a Alemanha e, para piorar, em casa, o ânimo do brasileiro com relação à amarelinha caiu bastante. A sensação de terra arrasada continuou após Dunga assumir o comando da Seleção Brasileira e começar mal as eliminatórias para a Copa do Mundo 2018.

O que parecia impossível de mudar, mudou. Tite deixou o Corinthians para tentar revitalizar a seleção canarinho. Conseguiu. O treinador perfilou uma sequência de vitórias e, mais que isso, fez com que o futebol convincente voltasse. Tal cenário fez com que as expectativas dos brasileiros para a copa deste ano (2018) fossem renovadas.

Seleção brasileira irá tentar o hexa na Copa do Mundo da Rússia

Karla Ehrenberg é doutora em comunicação e, dentre outras matérias, dá aula de Jornalismo Esportivo no Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho. Para muitos, a experiência de Copa do Mundo pode ser limitada em sentar-se com a camisa verde e amarela e torcer loucamente pela Seleção Brasileira. Já para Karla, Copa do Mundo é mais que isso. “Fico totalmente imersa nesse ambiente de Copa, se eu pudesse não trabalhava e não fazia mais nada para acompanhar todos os jogos”, confessa a educadora. Como não é possível deixar os compromissos de lado, ela explica que vale tudo para não perder nada do torneio. “Vejo da maneira que dá, se estou no trânsito e o jogo está sendo transmitido no rádio estarei ouvindo”, conta.

As expectativas de Karla com relação à Seleção Brasileira são positivas. A doutora explica que são diversos fatores que fazem do Brasil um dos candidatos ao título, sem se restringir apenas ao técnico Tite. “Tite é experiente com relação às táticas e é, também, um treinador moderno, gosto muito dele”, ressalta. O fato de jogar fora de casa da mesma forma é visto com bons olhos por ela. “Aqui no Brasil, os jogadores estavam muito dispersos, eles tiveram que fazer muitas coisas além de jogar, como ficar atendendo patrocinador e programas de TV. Acredito que, na Rússia, eles vão estar mais isolados desse ‘oba oba’ e, consequentemente, estarão mais concentrados”, pontua a professora.

Karla aponta que outras seleções podem ser consideradas favoritas, como Alemanha e Argentina. “Os alemães são os atuais campeões e formam um bom time, além serem uma escola de futebol muito forte”, argumenta. A professora acredita que a dificuldade encontrada pela seleção Argentina em se classificar para o mundial não tira dela o status de favorita, pelo contrário, fortalece. “Eles foram para a final na última copa. Acho que a maneira com que eles foram classificados, com tanta comoção e luta, faz com que eles cheguem motivados”, afirma. Além dessas duas seleções, ela coloca Espanha, França e Inglaterra como candidatas à taça. “Os jogadores europeus são muito experientes, já que não jogam somente em seus países. Eles rodam pela Europa, o que acaba dando uma visão mais ampla e tornando esses atletas mais modernos taticamente”, explica.

Carlos Eduardo Ananias Moreira, treinador e jogador do time de basquete de Engenheiro Coelho também dá seus palpites no futebol. Ele acredita que Tite conseguiu levar os nomes certos para a seleção. “Pelos últimos jogos, acredito que o Brasil tenha boas chances. A seleção é liderada pelo Neymar, mas ele conta com ótimos jogadores que irão ajudá-lo, como é o caso do Gabriel Jesus”, afirma Carlos.

O atleta do basquete coelhense também coloca a Alemanha e a Argentina como candidatas. “A Alemanha tem uma boa escola e a Argentina jamais podemos descartar, eles tendem a crescer pela raça que têm”, ressalta Carlos.

A Copa do Mundo da Rússia começa no dia 14 de junho, em jogo que será disputado entre o time russo e Arábia Saudita. O Brasil irá estrear contra a Suíça no dia 17 de junho. A segunda partida será no dia 22, contra a seleção de Costa Rica. Para fechar a primeira fase, a seleção brasileira irá enfrentar a Sérvia, no dia 27 de junho.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Coelhense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.