02/09/2019

Após denúncias, promotoria cancela prova do processo seletivo dos conselheiros tutelares de Engenheiro Coelho

Segundo comissão organizadora, o cancelamento aconteceu por erros no edital e uma nova prova será aplicada

Mariana Avanzzi

A prova escrita do processo de escolha dos novos conselheiros tutelares de Engenheiro Coelho foi cancelada pela promotoria de Artur Nogueira (SP)  após receber denúncias de fraude. Um documento protocolado ao Ministério Público aponta supostas irregularidades durante o processo seletivo. Segundo comissão organizadora, não houve irregularidades, e sim alguns erros no edital que causaram transtornos e por isso uma nova prova será aplicada.

O cancelamento foi publicado no edital da página da Prefeitura na tarde de sexta-feira (30). O comunicado diz que “a prova aplicada no dia 11 de agosto está cancelada, em atenção a recomendação da Promotoria de Justiça de Artur Nogueira.” O Portal Coelhense teve acesso ao documento protocolado ao Ministério Público que aponta supostas irregularidades no processo de escolha.

Denúncia

Entre as irregularidades denunciadas estão: a prorrogação das inscrições sem motivação aparente; o documento afirma que as inscrições foram prorrogadas e a publicação do acontecimento foi publicada dias depois. A mudança da data escrita também foi outra suposta irregularidade apontada, já que a alteração não foi feita sem qualquer motivo ou explicação e segundo o documento, não foi publicada no site da prefeitura.

Outro ponto elencado foi que um dos candidatos chamou a polícia, no dia da prova, ao ser impedido de levar o caderno de questões. O documento diz que no edital de convocação estava escrito que o candidato poderia levar consigo o caderno de questões, após uma hora do início da prova de conhecimentos. Contudo, no dia da prova, nas Orientações Gerais, houve alteração do item. E a contradição impediu que os mesmos levassem o caderno.

O documento ainda solicita às autoridades competentes, “os gabaritos de todos, pois suspeitamo de fraude.” Outro fato intrigante, conforme o documento, foi que no dia da palestra a empresa aplicadora da prova escrita foi alterada e por isso a data da prova também foi alterada para outro dia, mas nada sobre isso foi publicado no Portal de Transparência Oficial do Município.

Por último, o documento destaca que a porcentagem de acertos, conforme visto o edital, é contraditória e causa prejuízo aos candidatos que não tinham base para saber de fato qual seria a nota de corte, pois houve alteração onde a comissão rebaixa nota de 70% para 60% de acertos.

Comissão organizadora

Segundo a coordenação da comissão do processo seletivo, não houve fraude. E apesar da promotora receber às denúncias, apenas dois itens foram considerados pertinentes e devido a essa alteração e erros no edital, uma nova prova será aplicada.”A promotora chamou a comissão e nos falou sobre as denúncias que chegaram até ela. Porém ela nos pediu para cancelar a prova por dois motivos. Ambos foram erros no edital e por isso achou melhor fazer a prova novamente. As outras irregularidades apontadas não foram mencionadas para a comissão, pois não foram levadas em consideração. Nós nos preocupamos com a transparência, por isso mesmo decidimos acatar a sugestão da promotoria.”

Ainda conforme a coordenação, uma nova prova será aplicada no dia 15 de setembro, as 8h30, na Escola Municipal José Forner.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Coelhense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.