06/02/2019

Engenheiro Coelho perde 349 linhas de telefonia fixa em três anos

Redução faz parte do processo da revolução industrial

Mariana Avanzzi

De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o serviço de telefonia fixa de Engenheiro Coelho perdeu 349 linhas entre os anos de 2015 e 2018. A queda é justificada pela era dos aparelhos celulares e o acesso à internet.

Para Ana Amélia, os fatores elencados como causa se encaixam ao analisar a realidade dela. A moradora conta que não renovou a linha pessoal há dois anos para economizar. “Na verdade, virou algo fútil. Com o celular sai até mais barato. Utilizo dentro e fora de casa. E um telefone em casa seria até inútil diante de tantas opções de planos para celulares. Já que vi que não era necessário ter esse gasto a mais, resolvi cancelar a linha”, explica.

Estudiosos dizem que os smartphones são os principais responsáveis para a diminuição das linhas fixas não só em Engenheiro Coelho, mas em todo o país. O economista Luiz Amorim, por exemplo, explica que os tempos mudaram e as pessoas se adequaram com a nova realidade.

”Hoje, os telefones fixos se concentram em escritórios e estabelecimentos comerciais. Dentro das residências, virou uma raridade justamente pelos valores, o que a consumidora Ana Amélia relatou é o que acontece na maioria dos casos, o consumidor coloca na balança e vê que não irá agregar tanto para estar desembolsando um valor mensal por algo que não será utilizado, ou que poderá ser substituído por outro meio que trará os mesmos benefícios pela metade do preço”, expõe.

A queda do valor cobrado pelo uso da internet e a crise econômica entre 2016 e 2017 aceleraram o processo de redução dos aparelhos fixos. Assim, o número de telefones no município coelhense em 2015 era de 1.023 e, em 2018, passou para 674.

…………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Coelhense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.