23/08/2019

Escritor e jornalista, morador de Engenheiro Coelho, morre aos 93 anos

† 21/08/2019

Tobias Pinheiro Filho, morador de Engenheiro Coelho, faleceu nesta quarta-feira (21). Nascido no dia 4 de Julho de 1926 na cidade de Brejo, Maranhão, de onde saiu aos 12 anos de idade. Estudou no Seminário Santo Antônio em São Luís. Morou em Teresina, Piauí, em Curitiba, Paraná, e no Rio de Janeiro, a partir de 1952. E atualmente residia com o filho, médico, Dr. Cléber Pinheiro, em Engenheiro Coelho, São Paulo.

Casou-se muito jovem, ainda em Teresina, com Maria Osita Pinheiro. É pai de seis filhos: Pedro Humberto, Paulo Roberto, Antônio Neto, Sandra Maria, Carlos Alberto e Cleber. Iniciou-se no jornalismo na capital carioca no ano de 1954. Trabalhou 21 anos no Diário de Notícias, chegando a ser Chefe de Redação; prosseguiu trabalhando no Jornal do Brasil, de que foi Redator por duas vezes; em O Globo, Última Hora, O Dia, e no Jornal do Comercio. Foi também editor das publicações da Light, cargo em que se aposentou. E, por último, trabalhou como editor das publicações da ABADI – Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis.

Tobias Pinheiro pertence a várias entidades literárias, dentre as quais podemos destacar: Academia Brasileira de Literatura, Academia Brasileira de Trova, Academia Guanabarina de Letras, Federação das Academias de Letras do Brasil, Delegado das Academias Maranhense e Piauiense de Letras é o Presidente de Honra da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro. Convidado pelo presidente da ANL e ABLEA, Dr. Camilo Martins, Passou a fazer parte da Academia Brasileira de Letras dos Escritores Adventistas e da Academia Nogueirense de Letras.

 

Ele publicou nove livros: Intermezzo, Vinho Amargo, Doce Tortura, Os Outros, Menino do Bandolim, Jóias de Ouro Preto, Marcas de Luz, Milagres da Memória, e Sonetos.
Tornou-se imortal da Academia Carioca de Letras em 7 de Julho de 1992. E fez a seguinte declaração: “Considero minha eleição para esta Academia como um gesto de humildade dos senhores acadêmicos, porque minha única universidade foram as redações dos jornais do Rio de Janeiro, tendo como mestres os meus companheiros de trabalho, aos quais presto agora minhas homenagens”.

Mesmo com toda essa modéstia, ele recebeu – por unanimidade – o título de Personalidade Cultural de 1997 da União Brasileira de Escritores. E o Prêmio de Literatura da Faculdade da Cidade recebe o nome de Tobias Pinheiro.
É autor do Hino Oficial da cidade de Brejo, sua terra natal e tem uma escola estadual que leva o nome “Unidade Escolar Tobias Pinheiro.

“Tobias Pinheiro deixa um grande legado, homem de uma mente privilegiada, nos seus 93 anos de vida foi exemplo a todos que querem seguir um objetivo literário e cultural com afinco.” – Poeta Camilo Martins, presidente da ANL e ABLEA.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.