04/01/2019

Golpe do falso sequestro faz vítimas e assusta moradores de Engenheiro Coelho

Polícia militar dá dicas de como agir perante golpistas

Mariana Avanzzi

A polícia recebeu denúncias de golpes do ‘falso sequestro’ na última semana, em Engenheiro Coelho. Um dos casos registrados, na última quinta-feira (30), um idoso, de 80 anos, foi levado a acreditar que sua filha havia sido sequestrada e acabou depositando a quantia de R$ 5 mil em uma conta bancária do Rio de Janeiro.

Além deste caso, dezenas de moradores de Engenheiro Coelho tem se manifestado em redes sociais expressando que foram vítimas do golpe. A moradora Eliana Nunes conta que seus avós receberam uma ligação na madrugada desta segunda-feira (31) “Então, eles conseguiram que meus avós falassem o meu nome sem querer e disseram que eu estava sequestrada, um pessoa chorando ao fundo e tudo mais, a sorte que minha tia desconfiou e me ligou”, afirma a moradora.

O capitão da Polícia Militar Alexandre Hoio explica como se prevenir contra crimes desse gênero. “Primeiro, a vítima deve tentar se manter tranquila e nunca tomar nenhuma atitude que o falso sequestrador manda. Em seguida, se for via fone, deve ligar imediatamente ou tentar outro contato (caso o telefone da falsa vítima não esteja atendendo). E por fim, caso não consiga nenhum tipo de contato com a pessoa que o falso sequestrador diz estar em seu poder, acionar os órgãos policiais para que atue de forma técnica no caso”, afirma.

O capitão lembra também que se deve manter a calma e não agir de forma precipitada. “Mas, o principal, é não agir precipitadamente, nem fazer qualquer concessão ao falso sequestrador. Vale lembrar que os golpistas utilizam dados extraídos de rede social e usam as informações colhidas na própria conversa, que a pessoa lhe passa sem perceber, quando está nervosa”, finaliza.

O golpe

Usando celulares de dentro de penitenciárias, os presidiários, geralmente de outros Estados, ligam para telefones residenciais e celulares se passando por atendentes de telemarketing ou amigos da família para conseguir informações. Na posse delas, eles fazem uma nova ligação dizendo que um familiar foi sequestrado e exigem o depósito de uma quantia em dinheiro para a libertação da vítima.

Normalmente, o  suposto sequestrador pergunta se a pessoa tem filhos, pai ou mãe e se estes se encontram em casa. Para deixar a vítima mais intimidada e assustada, eles colocam uma pessoa chorando ao telefone como se fosse o parente sequestrado, usando o estado emocional da pessoa para concretizar o golpe.

Prevenção

Oriente os idosos. São as pessoas idosas da família as mais vulneráveis à manipulação dos bandidos. Muitas vezes, por se sentirem sozinhas, elas podem prolongar conversas com desconhecidos e acabar por municiar criminosos;

Não ajude o bandido dando-lhe informações. Cuidado ao fornecer dados pessoais, como nomes, número de quantas pessoas reside no local, telefone ou hábitos sobre os moradores da casa. Estas informações podem ser utilizadas para o criminoso conhecer sua família;

Tente prolongar a conversa com o suposto negociador e certifique-se de que o suposto sequestrado esteja bem. Ao realizar a ligação, o criminoso sempre demonstra ter pressa em finalizar as negociações;

Se você cair no golpe, não deixe de prestar queixa na polícia. De posse de informações como o número de origem da chamada criminosa ou o número da conta em que o “resgate” foi depositado, a polícia pode identificar o criminoso e evitar que mais pessoas sejam vítimas dele.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Coelhense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.