17/06/2019

Gasolina reduz pela 2ª vez, mas preço continua alto em Engenheiro Coelho

Redução da gasolina é a segunda no mesmo mês

Da redação

A Petrobras reduziu 3% o preço médio da gasolina nas refinarias nesta terça-feira (11). O valor médio do litro passará de R$ 1,8144 para R$ 1,7595, uma redução de cinco centavos. Apesar disso, postos de combustíveis de Engenheiro Coelho ainda mantém o valor.

Essa é a segunda redução da gasolina no mês. No dia 1º de junho, a Petrobras reduziu o valor da gasolina em 4,4% e o do diesel em 6%. A Petrobras decide os preços de combustíveis com base em fatores como a cotação internacional do petróleo e o câmbio, porém uma sistemática em vigor desde setembro prevê o uso de operações de hedge para permitir um espaçamento maior entre os reajustes.

Esse ano, a cotação da gasolina nas refinarias da petroleira chegou a acumular alta de 14,6% no total.  Os reajustes da Petrobras foram quase que diários. No ano passado (2018), diante de forte volatilidade nos valores, a empresa até anunciou um mecanismo para ajudar a segurar altas na gasolina e no diesel. Segundo informações da empresa, o reajuste ocorria devido a uma leve alta nos preços do petróleo no mercado internacional, além da desvalorização do real frente ao dólar.

O consumidor coelhense, que já esperava por uma queda, encontrasse irritado, pois o valor praticado no município ainda está alto de acordo com os munícipes. ” Na hora que sofre aumento, rapidamente o reajuste chega nas bombas e no nosso bolso, mas quando diminui o preço parece que nunca chega nos postos”, aponta a moradora Luciana Silva Camargo.

O motorista encontra o litro entre R$3,89 e R$3,99  nos postos de combustíveis de Engenheiro Coelho, mas estão ansiosos com o reajuste nas bombas nos próximos dias.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Coelhense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.