22/04/2019

Guerra contra canudos de plástico deve chegar em Engenheiro Coelho

Várias cidades da região já aderiram a medida que visa à preservação do meio ambiente por meio da redução do descarte de produtos plásticos

Da redação

Milk Shake, achocolatado, suco e refrigerante parecem só ter graça tomados com canudinhos de plástico. Há quem discorde firmemente dessa afirmação, isso porque uma grande manifestação em prol ao meio ambiente ganhou força nos últimos meses. O motivo? A quantidade de canudos plástico encontrados nos oceanos. Conforme um relatório do Fórum Econômico Mundial de 2018, em 2050, teremos mais plástico nos oceanos do que peixes. A proibição dos canudos em cidades da região já gera discussão em Engenheiro Coelho.

A onda anticanudo tem se espalhado de maneira tão agressiva que existem cidades da região que já proibiram o uso do mesmo através de legislação. Tudo começou quando dados da ONG Ocean Conservancy, sediada nos Estados Unidos,  afirmou que o item é o 7° mais coletado nos oceanos em todo o mundo. No Brasil, a primeira cidade brasileira a proibir o uso do canudo foi o Rio de Janeiro. Lá, quem for flagrado usando o canudo errado, é intimado a substituir o produto no prazo de 60 dias e para quem descumprir a lei, as multas chegam a R$ 6 mil. Desde então, várias cidades já estão se adaptando e criando novos hábitos.

Em Engenheiro Coelho, ainda não se multa os estabelecimentos que utilizam os canudinhos. João Carlos Lima é proprietário de um bar e não concorda muito com a medida. “Bom, se for assim tem que proibir mais coisas, eu acho que isso é jogo pra ganhar dinheiro e começar a vender canudo de outros tipos bem mais caros. Vai ser complicado, ninguém quer por a boca em uma lata de refrigerante que não sabe por onde passou”,  opina Lima.

Ao contrário de João, Ana Cristina Almeida é estudante e concorda com a proibição. “Temos que aprender que se não cuidarmos do agora, sofreremos as consequências. Acontecem tantos desastres naturais por causa do ser humano, mas parece que o brasileiro ainda não entendeu e tem o pensamento ultrapassado. Acredito que a medida é um passo em direção ao futuro em muitos sentidos, temos que melhorar muito mais e aprendermos a reciclar em casa e utilizar menos plástico possível”, expõe Ana.

Outros meios já foram elencados para substituir o item com a proibição e já estão disponíveis no mercado, como canudos de vidro, metal e até mesmo comestíveis. Ao que tudo indica, é mesmo um guerra mundial contra os canudos de plástico e a favor do meio ambiente.

…………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Coelhense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.