14/08/2019

Homem é detido acusado de tráfico de drogas em Engenheiro Coelho

Policiais chegaram no local após ouvirem barulhos de fogos de artificio; a prática é comum para o anúncio da comercialização de drogas

Mariana Avanzzi

A Polícia Militar (PM) deteve um homem nesta segunda-feira (11), acusado de tráfico de drogas no município coelhense. Os policiais chegaram no local após ouvirem barulhos de fogos de artificio, já que a prática é comum para o anúncio da comercialização de drogas. Na ocasião, 9 predras de crack e 40 porções de maconham foram aprendidas.

Os policiais militares estavam em patrulhamento quando ouviram um barulho de fogos de artifício. A prática normalmente é feita por traficantes com o desejo de indicar que os entorpecentes chegaram. Em posse de algumas informações de que um suspeito, de 43 anos, faria o tráfico de drogas em sua residência, os policiais foram até a Rua Eufrosino Gomes a fim de conferir.

No local informado, o suspeito estava no portão da casa e foi submetido a uma revista pessoal onde foi encontrada a quantia de R$60 em notas diversas. Ao ser questionado, o homem disse que não havia nada na casa e colocou à disposição para averiguação. Os policiais entraram na residência e encontraram na mesa da cozinha um pacote de papel com 9 pedras de crack e 10 porções de maconha.

No quarto foi encontrado a quantia de R$622 em notas diversas. Além disso, havia um terreno baldio ao lado da casa, onde o acusado cuida e tem uma pequena plantação de hortaliças, lá foi encontrado 30 de maconha.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão pelo crime de tráfico de drogas e o homem foi conduzido até a Delegacia de Polícia Civil Artur Nogueira. Um Boletim de Ocorrência foi elaborado e depois das formalidades, o homem responderá em liberdade.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Coelhense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.